HiperNotícias - Você bem informado

Sábado, 15 de Outubro de 2011, 12h:13

Ságuas volta para Seduc, mas base governista deve perder DEM e PSD

Apesar de o governo anunciar retorno de ex-deputado para o Executivo, duas siglas estão na iminência de sair da aliança; Silval afirma que desconhece este plano

PAILO COELHO

Mayke Toscano/Hipernotícias

Deputado José Riva sugere que PSD, ao qual ele pertence, entregue cargos ao Governo do Estado

Enquanto o governador Silval Barbosa (PMDB) decide trocar o comando da Secretaria de Educação (Seduc), substituindo Rosa Neide pelo ex-deputado Ságuas Moraes (ambos do PT), outros partidos aliados continuam sendo uma incógnita na atual gestão.

Na próxima segunda-feira (17) duas reuniões podem resultar em baixas na base de sustentação de Silval. Na primeira, às 10 horas, o Democratas avalia sua possível saída do grupo governista, conforme defendem o senador Jayme Campos e o presidente regional do DEM, Dilceu Dal Bosco.

Já às 17 horas o PSD abre sua primeira reunião deliberativa desde que foi criado. O presidente estadual da nova legenda, vice-governador Chico Daltro, está elaborando uma pauta de temas a serem debatidos no encontro.

Conforme adiantou ao Hipernotícias, o secretário-geral do PSD, deputado José Riva, um dos assuntos será a proposta de devolução dos cargos ocupados pela legenda no governo Silval.

“Essa é uma posição minha e se o partido me ouvir vamos entregar todos os cargos e com isso deixar o governador à vontade para decidir quem ele quer no governo, portanto farei essa proposta na reunião de segunda”, sustentou Riva.

São cargos, hoje os principais comandados pelo PSD no governo do Estado, a Secretaria de Ciências e Tecnologia, administrada pelo deputado licenciado Eliene Lima; Centro de Processamento de Dados (Cepromat), comandado por Wilson Dentinho e a Secretaria de Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar (Sedraf), que é dirigida por Zé Domingos.

Na manhã deste sábado (15) o governador alegou desconhecer essa intenção de Riva e quanto ao Democratas, limitou-se a dizer que “estamos abertos a ter um bem relacionamento com todo mundo, mas ter bom relacionamento não está somente em cima de cargos”.

O DEM deixou de existir no secretariado de Silval no momento em que o deputado estadual licenciado, José Domingos Fraga, trocou o partido pelo recém-criado PSD, na semana passada.

Sobre o PT, que detém o comando da pasta de maior orçamento do governo ( R$1,3 bi/ano) Silval Barbosa defendeu neste sábado que a atual secretária Rosa Neide Sandes permaneça na área técnica da Seduc como adjunta ou outra função e que ainda não há data marcada para a posse de Ságuas, que já foi secretário de Educação (também na cota do PT) no governo Blairo Maggi (PR)

“Ságuas e eu nos reuniremos na segunda-feira à tarde e definiremos uma data para oficializarmos, com o aval do governador, essa mudança”, afirmou Rosa Neide ao Hipernotícias.