HiperNotícias - Você bem informado

Sábado, 10 de Setembro de 2011, 12h:00

China inicia estudos de impacto para viabilizar ferrovia Cuiabá-Santarém

Empresários chineses afirmaram que expedição Rota da Integração teve saldo positivo

DA REDAÇÃO

Marcos Negrini/ Secom-MT

Silval Barbosa se reuniiu com empresários chineses para avaliar construção da ferrovia Cuiabá-Santarém

Mato Grosso está cada vez mais próximo dos investimentos da China. A comitiva desse país vai iniciar estudos de impacto da ferrovia. O grupo considerou como positiva a expedição “Rota da Integração” que mostrou durante três dias o percurso que deverá ser feito para implantar o modal de transporte até Santarém, no Pará.

O governador de Mato Grosso, Silval Barbosa, recebeu na sexta-feira (9), no Palácio Paiaguás,   empresários chineses que vão iniciar o estudo para a viabilização da ferrovia Cuiabá-Santarém a partir desta segunda-feira (12).

Os chineses presentes na reunião,  são da companhia China Railway Engineering Corporation (CREC), competente estatal que responsável pela construção de 90 mil quilômetros de ferrovia naquele país.

O protocolo de intenções já foi assinado na China, basta agora, o Governo de Mato Grosso sinalizar qual será o modelo de contrato que deve ser firmado com as empresas que estão interessadas em investir no Estado 

"O feedback foi extremamente positivo e o governador de Mato Grosso tem se mostrado simpático e oferecido todo apoio", ressaltou um representante do grupo.

TRECHO RONDONÓPOLIS

Empresa América Latina Logística (ALL), que seria responsável pela construção do trecho Rondonópolis-Cuiabá e Cuiabá-Santarém, desistiu da concessão. Embora o Governo não divulgue, é possível que empresários chineses estejam cogitando fazer os trechos.

A construção do trecho Rondonópolis-Cuiabá já está definida e os estudos de impacto ambiental terá a parceria entre a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

A Expedição 'Rota da Integração' contou na comitiva com a participação da Aprosoja, Famato, Ampa, Acrimat e jornalistas de diversos veículos de comunicação de Mato Grosso.