Copa Pantanal Terça-feira, 19 de Julho de 2011, 18:27 - A | A

Terça-feira, 19 de Julho de 2011, 18h:27 - A | A

MODAL DE TRANSPORTE

Blairo Maggi diz que se ainda fosse governador manteria sistema BRT

Senador diz ter preferência por modal "bus rapid transit", ao contrário do escolhido pelo governo de Silval

HÉRICA TEIXEIRA
herica@hipernoticias.com.br

 

Lenine Martins/Secom-MT
Governador silval não estava perto do senador quando este falou sobre sua preferência pelo BRT

 

O senador Blairo Maggi (PR-MT) tentou se esquivar mas não resistiu. Ao ser perguntado se concordava com a escolha do modal VLT (Veículo Leve sobre Trilho) para Cuiabá e Várzea Grande, que foi anunciada pelo presidente da Agecopa, Eder Moraes, de forma antecipada, o republicano disse “que se ainda fosse sua gestão não teria mexido no modal, continuaria sendo o Bus Rapid Transit (BRT).”

A fala do senador, que presidente da presidente da Comissão de Acompanhamento e Fiscalização da Copa 2014, aconteceu na visita que ele, o governador de Mato Grosso, Silval Barbosa (PMDB) e Eder Moraes fizeram nesta terça-feira (19) ao canteiro de obras da Arena Pantanal, estádio que está sendo construído para abrigar 4 jogos do maior evento esportivo do planeta.

Antes de soltar esta frase, Blairo Maggi evitou se posicionar sobre a polêmica escolha do modal de transporte para Cuiabá e Várzea Grande. O argumento era de que é outro governador e outra equipe.

O senador disse que não tem direito de escolher e nem dar palpite, mas defendeu desfecho da escolha, já que os prazos exigem agilidade. “Precisamos definir escolha. Temos 3 anos para a Copa do Mundo e não temos tempo para ficar pensando no que vai fazer”, defendeu.

RESISTÊNCIA

No entanto, o governador Silval Barbosa (PMDB) continua em defesa do modal de transporte do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT).

Silval defendeu escolha por acreditar que modal é preparado para o futuro e que é o mais moderno e eficiente. E explicou que tanto o BRT ou VLT estão dentro de planejamento possível e disse que não tem dificuldade para recursos.

“Tinha uma escolha no inicio pelo modal BRT, mas optamos por ampliar e escolhemos o VLT, mas o governo federal está colocando dificuldades para alterar a nossa matriz de responsabilidade, contudo, temos até amanhã para definir”, argumentou. Silval ainda disse que todas as obras estão dentro do prazo e não vai haver atraso de obra.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros