Sábado, 16 de Junho de 2018, 14h:29

Tamanho do texto A - A+

Bebê reage bem ao tratamento, mas segue em estado grave

Por: DA REDAÇÃO

Internada há 10 dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal da Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá, a recém-nascida indígena resgatada pela Polícia Militar está reagindo bem ao tratamento, porém o seu estado de saúde é considerado grave e estável. A informação é do boletim médico divulgado pelo hospital na tarde deste sábado (16).

 

Reprodução

bebe indio enterrado

 

De acordo com o boletim, a menina iniciou o processo de desmame da sedação e do respirador mecânico que usa desde quando chegou a unidade de saúde cuiabana. Contudo, a recém-nascida continua com insuficiência renal aguda e fazendo diálise peritonial.

 

“A recém-nascida indígena ainda encontra-se em estado grave, porém estável. Está reagindo bem ao tratamento iniciando o processo de desmame da sedação e do respirador mecânico. Continua com insuficiência renal aguda e fazendo diálise peritoneal”, diz o boletim que a reportagem recebeu.

 

As complicações são decorrentes do longo período em que a bebê ficou enterrada e inspirou terra, que agora circula em seu organismo debilitado.

 

Ela chegou à Santa Casa transferida do Hospital de Água Boa (730 km de Cuiabá), onde recebeu os primeiros atendimentos, mas que não possuía condições de fornecer a criança o tratamento adequado.

 

Na quinta-feira (7) ela passou por cirurgia para colocação de cateter para a realização da diálise.

 

A menor foi enterrada pela bisavó, com ajuda da avó, no quintal da casa em que viviam em Canarara (635 km de Cuiabá). Vizinhos denunciaram o enterro para a polícia, que conseguiu resgata a menina e encaminhá-la para atendimento médico.

 

Os policiais a bisavó confessou que enterrou a criança porque ela era filha de uma adolescente de 15 anos e o pai estaria com outra mulher. É tradição da tribo a qual pertencem não aceitar filhos de mães solteiras.

 

A avó da bebê declarou aos policias que ofereceu chás abortivos à filha adolescente para que a gravidez não prosseguisse, porém não houve efeito e ela com a bisavó da bebê decidiram pelo enterro.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto