Brasil Quarta-feira, 24 de Agosto de 2011, 18:18 - A | A

Quarta-feira, 24 de Agosto de 2011, 18h:18 - A | A

PAUTA

Dilma diz que demissões 'não são meta de governo'

Em oito meses, três ministros já deixaram o governo após suspeitas de irregularidades

DA FOLHA DE SÃO PAULO

Ueslei Marcelino/Reuters

Dilma Rousseff afirmou nesta quarta-feira (24), em Brasília, que 'demissões não são meta de governo'

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta quarta-feira (24) que demissões e o combate a irregularidades "não são meta de governo" e que não aceita a criação de um ranking de demitidos entre ministros e assessores.

Dilma respondeu ao questionamento sobre o possível fim das demissões em seu governo. Até agora, quatro ministros deixaram a esplanada por suspeitas de irregularidades ou declarações que desagradaram o Planalto.

"Essa pauta de demissões [em] que fazem ranking não é adequada para um governo. Essa pauta eu não vou jamais assumir, não se demite nem se faz escala de demissão, nem sequer demissão todos os dias. Isso não é de fato Roma antiga", afirmou a presidente.

Dilma fez ainda clara referência à sua prisão durante a ditadura ao falar que não permitirá que pessoas passem por "situações ultrajantes".

"É importantíssimo respeitar a dignidade das pessoas não submetê-las a condições ultrajantes. Eu sei disso porque já passei por isso", afirmou ela. Segundo assessores, a presidente ficou incomodada com o vazamento de fotos sem camisa dos detidos na Operação Voucher, que investiga o Ministério do Turismo.

Dilma voltou a afirmar que tomará "providências" sempre que houver "malfeitos" e "atividades inadequadas", mas que irá respeitar a presunção da inocência dos acusados. "Se combate o malfeito, não se faz disso meta do governo. Faxina no meu governo é faxina contra a pobreza, o resto são ossos do ofício da Presidência, e isso não se interrompe."

A presidente voltou a dizer que não aceitará que se desrespeite "os preceitos da Justiça moderna" e os "direitos individuais e liberdades".

As afirmações foram feitas à imprensa ao final de evento no Palácio do Planalto.

Clique aqui  e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros